10 DICAS PARA PILOTAR SUA MOTO COM SEGURANÇA

motocicleta 01Começar a andar de moto pede o mínimo de equilíbrio e algum controle dos comandos. Algo que é ensinado em CFCs (Auto Escola), mas que pode (e deve) ser aprimorado com a prática. Ter uma moto adequada ao seu porte físico ajuda muito no início, além de saber dosar embreagem, acelerador e freios.

E sempre que você achar que está “pilotando” muito, de maneira mais rápida e arrojada, fica a sugestão: é nessas horas que pode surgir uma fechada de um motorista, ou um simples erro que te leva direto para o chão. Bom senso é sempre recomendável, independentemente da aptidão do motociclista. A seguir, conheça algumas dicas importantes para se dar em meio ao trânsito:

1 – Andar de moto requer mais do que concentração

É necessário estar bem fisicamente, ou, pelo menos, bem acordado. Evite pilotar muito cansado, sob efeito de remédios ou até de “ressaca”. Alguns medicamentos causam sono. E conheça bem seus limites: se pilota há pouco tempo, evite longas viagens com chuva ou à noite, por exemplo.

2 – Areas urbanas exigem mais atenção

Tanto com pedestres, às vezes imprudentes ao atravessar a rua, como ao passar por veículos. Caminhões e ônibus têm pontos cegos maiores, portanto você pode levar uma fechada porque sua moto não foi vista. Tente antecipar situações de risco e aglomerações de veículos, e saiba que boa parte dos acidentes ocorre próximo à sua própria casa, por distrações simples.

 3 – Grande parte dos acidentes acontece em cruzamentos

Além de esperar o semáforo abrir, olhe para a via que fechou e certifique-se de que todos pararam. Quem está de carro normalmente tem apenas danos materiais com uma colisão, mas de moto se pode sofrer sérios traumas. Também preste atenção se for o primeiro a parar em semáforos ou pedágios: motoristas distraídos podem colidir com sua moto. Fique sempre de olho no retrovisor quando for parar.

 4 – Não pense que capacete aberto protege

E não confie 100% em modelos basculantes. Capacete deve ser fechado, justo na cabeça, e sempre afivelado. O capacete dura três anos e, em caso de acidente, precisa ser trocado mesmo sem danos visíveis.

 5 – Se estiver passeando em grupo, rode na sua tocada e respeite seus limites

Não é porque alguém à sua frente está indo bem nas curvas que você deve segui-lo. Mantenha sempre distância segura, de pelo menos dois segundos do veículo à frente: ou seja, quanto maior a velocidade, maior a distância. Use seu campo de visão não apenas em curtas distâncias, mas também lá na frente, e em entradas ou retornos e nunca se esqueça de pilotar  sempre com a atenção não só com os outros veículos da via, mas também com os  que estão fazendo parte do seu grupo.

6 – Ao cobrir distâncias mais longas, pare a cada duas horas

Aproveite para tomar um café, alongar braços e pernas para então seguir viagem. Na hora do almoço, dê preferência para refeições leves. Ao menor sinal de sono, pare para uma soneca, pois o único remédio para sono é dormir. Não pense que não dá para dormir na moto, conheço casos de pessoas que até sonham!”

 7 – Posição correta é fundamental para ter controle

Respeite cada tipo de moto e sua ergonomia: o contato dos pés com as pedaleiras e das coxas com o tanque aumenta a capacidade de desvios rápidos, além de aumentar a segurança e controle em curvas. Nos contornos, a tendência é o corpo ir para o lado oposto à curva. Uma dica é inclinar a cabeça e o tronco junto com a moto, de maneira a ajudá-la a vencer a inércia.

 8 – O freio dianteiro deve ser o principal

Na maioria das motos, freia-se 70% na dianteira e 30% atrás. O freio traseiro é usado mais para equilibrar a frenagem. Só em modelos custom e scooters se pode modular as paradas usando 50% de cada freio. Frear motos exige muita experiência porque varia conforme a situação, tipo de moto e piso. Por isso os sistemas são independentes, enquanto no carro os freios são comandados por um pedal só”. Motos com o antitravamento ABS são uma boa pedida, mas deve-se ficar atento à atuação do sistema em pisos irregulares, o que pode comprometer a correta frenagem. Pneus carecas devem ser descartados, pois não garantem eficiência. Como são apenas dois, imagine a importância deles em um sufoco, ou mesmo na chuva.

 9 – Conheça a sua moto e faça manutenção em dia

Itens como pneus, freios (e fluido) devem ser checados antes de sair. Use uma lista de checagem obedecendo a sigla P-CLOC: Pneus, Combustível, Luzes, Óleo e Corrente.

 10 – Informe-se!

A formação dos motociclistas é muito falha e nem sempre o novato busca se informar. E quando se interessa acaba caindo em fóruns de Internet com teorias equivocadas. O ideal é procurar empresas sérias e especializadas que possam complementar o curso básico dos CFCs (Auto Escola). Hoje existem cursos de pilotagem em vários níveis que atendem as necessidades de qualquer motociclista, independentemente do nível de experiência e tipo de moto.

Então seja esperto! Use sempre as técnicas da Direção Defensiva, pois no trânsito a vida nem sempre nos dá a segunda chance, pense sempre nisto!!

 

POSTADO POR: INSTRUTOR AGUINALDO